segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Madrugada

Madrugada, é tempo de partir
Lá longe noutro mundo há um sonho que espera
Há que deixar para trás aquilo que passou
Fechar ouvidos a quem te pede para ficar
O tempo não pára

O sol nasceu, as velas estão erguidas
No horizonte a terra é uma recordação

E na concha apanhada na areia
Há ondas a murmurar
Ondas céu azul gaivotas e navios
Vontade de partir para longe para outro lugar

Fria, tão fria
Tão só ao acordar
Saudade e esperança na volta
daquele que te deixou

E na concha apanhada na areia
Há ondas a murmurar
Ondas céu azul gaivotas e navios
Vontade de partir para longe para outro lugar

[Luís R. - 1989]

Sem comentários: