terça-feira, 29 de setembro de 2009

Delírio privado...

Ah, a frescura na face de não cumprir um dever!
Faltar é positivamente estar no campo!
Que refúgio o não se poder ter confiança em nós!
Respiro melhor agora que passaram as horas dos encontros,
Faltei a todos, com uma deliberação do desleixo,
Fiquei esperando a vontade de ir para lá, que eu saberia que não vinha.
Sou livre, contra a sociedade organizada e vestida.
Estou nu, e mergulho na água da minha imaginação.
É tarde para eu estar em qualquer dos dois pontos onde estaria à mesma hora, Deliberadamente à mesma hora...
Está bem, ficarei aqui sonhando versos e sorrindo em itálico.
É tão engraçada esta parte assistente da vida!
Até não consigo acender o cigarro seguinte...
Se é um gesto,
Fique com os outros, que me esperam, no desencontro que é a vida.

[Fernando Pessoa]

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Fantasmas de Berlim

A voz desta senhora persegue-me há anos. Nada melhor para marcar o regresso de umas férias demasiado curtas na sempre mítica Berlim.



[Ute Lemper - Ghosts of Berlin]

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Romance is dead?

"But the Catherine Wheel shook her head. "Romance is dead, Romance is dead, Romance is dead," she murmured. She was one of those people who think that, if you say the same thing over and over a great many times, it becomes true in the end."

[The Remarkable Rocket - Oscar Wilde 1854–1900]

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Banda Sonora IX

De vez em quando fecho os olhos e deixo-me levar...



Take me as I am
Someone you don't know
Even in the dark
You may not be sure
Take me while you can
I can see you standing in the smoky entrance
Giving up your good intentions

Leave the shadows dancing
Dancing on their own
Let the moment free you now
And leave it all behind you
I'll know where you've gone
Let the world go on

Take me as I am
I may disappear
Fade into the night
Lighter than your thoughts
Take me while you can
Never knowing who or what you are until you're
Living with the unfamiliar

Leave the shadows dancing
Dancing on their own
Let the moment free you now
And leave it all behind you
I'll know where you've gone
Let the world go on

There's a place where fear won't find you
Where your secret dreams remind you
This is all you have to know and
This is all you have to go on
Everything you have inside you
Everything you need to guide you
This is all you
have to know and
This is all you have to go on

Take me as I am
Someone you could know
Even as we speak
You could change your mind
Take me while you can
Even if you shine a light into the mirror
You won't see me any clearer

Leave the shadows dancing
Dancing on their own
Let the moment free you now
And leave it all behind you
I'll know where you've gone
Let the world go on

[October Project - Take me as I am]

sábado, 12 de setembro de 2009

"Só não duvido dos que não têm certezas. "

[Luís R.]

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Banda Sonora VIII

Uma das menos conhecidas e uma das minhas favoritas de sempre dos "Leverpullers". Triste sem dúvida, mas quem é que nunca passou por um momento assim?


Here I stand head in hand
Turn my face to the wall
If she's gone I can't go on
Feelin' two-foot small

Everywhere people stare
Each and every day
I can see them laugh at me
And I hear them say

Hey you've got to hide your love away
Hey you've got to hide your love away

How can I even try
I can never win
Hearing them, seeing them
In the state I'm in

How could she say to me
Love will find a way
Gather round all you clowns
Let me hear you say

Hey you've got to hide your love away
Hey you've got to hide your love away

[Beatles - You've got to hide your love away]

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Banda Sonora VII


Favored son
Turn in the garden
Shades of one
Sins forgotten

Favored signs to find hope
In the rounds of life
Favored rhymes to find hope
In the sands of life

Favored son
Fence in your heart
Saviored son
Sins forgotten

[Dead Can Dance - Rakim]

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

O Relógio
( adereço conceptual para usar no pulso )

Pára-me um tempo por dentro
passa-me um tempo por fora.

O tempo que foi constante
no meu contratempo estar
passa-me agora adiante
como se fosse parar.
Por cada relógio certo
no tempo que sou agora
há um tempo descoberto
no tempo que se demora.

Fica-me o tempo por dentro
passa-me o tempo por fora.

[José Carlos Ary dos Santos 1937-1984]

(publicado em resposta a uma piquenina provocação)